Recado para o Diários Associados

06/11/2009

Recado Para o Diários Associados

CÓDIGO DE ÉTICA DO JORNALISTA

06/11/2009

CÓDIGO DE ÉTICA DO JORNALISTA

I- Do Direito à Informação

Art. 1º- O acesso à informação pública é um direito inerente à condição de vida em sociedade, que não pode ser impedido por nenhum tipo de interesse.

Art. 2º- A divulgação da informação, precisa e correta, é dever dos meios de comunicação pública, independente da natureza de sua propriedade.

Art. 3º- A informação divulgada pelos meios de comunicação pública se pautará pela real ocorrência dos fatos e terá por finalidade o interesse social e coletivo.

Art. 4º- A prestação de informações pelas instituições públicas, privadas e particulares, cujas atividades produzam efeito na vida em sociedade, é uma obrigação social.

Art. 5º- A obstrução direta ou indireta à livre divulgação da informação e a aplicação de censura e autocensura são um delito contra a sociedade.

Tem muito jornalista aqui em Minas que precisava dar uma reciclada, pois desconhecem estes 5 artigos.

O grande repúdio dos mineiros, por Laís Menini

06/11/2009

Tomo a liberdade sem consultar a autora para postar este texto excelente, lúcido e racional desta jornalista que honra o diploma que tem. Se ela ou alguém próximo a ela, ou os excelentes companheiros do sitio dos Guerreiros dos Gramados desautorizar, retiramos o post imediatamente. De antemão agradeço e nos desculpamos pelo uso sem solicitação.

Mas o fato é que CRUZEIRENSE QUE TIVER VERGONHA NA CARA VAI SEGUIR O QUE ESTA JORNALISTA FEZ.

Sou uma jornalista mineira que, a partir de hoje, não compra e não lê mais o jornal Estado de Minas. Esse veículo, que se intitula “o grande jornal dos mineiros”, para mim, a partir de hoje, não passa de um jornaleco que de mineiro não tem nada.

Mineiro contesta. Mineiro argumenta com inteligência. Mineiro reconhece grandes feitos, e mineiro reconhece também quando erra.

Não sei se alguém aqui concorda comigo, mas nenhuma dessas afirmativas é sustentada pelo Estado de Minas. Aliás, por favor, mudem de nome. Que vergonha é ter a palavra “Minas” como um símbolo tão dispensável.

Muito se falou sobre a cobertura do jogo de despedida do Sorín, onde o único veículo que se sobressaiu foi a Rede Globo, que fez até um hotsite para a festa. Mas é o dia seguinte que está me matando.

Enquanto Alex Escobar mostrou os gols como fechamento das notícias de esporte do Bom Dia, Brasil, em rede nacional, enaltecendo a festa da torcida cruzeirense, o “grande” jornal dos “mineiros” deu uma notinha com uma foto que, dá licença, não fazia parte do contexto. O texto, completamente sem emoção, me deu vergonha. Quem cair de Marte agora na Terra e ler o EM de hoje não vai pensar que foi um jogo de despedida; nas linhas desse jornal, muito parece um joguinho de terceira divisão onde dois jogadores marcaram dois gols imprecisos. É muita falta de competência.

Como se o desapontamento já não fosse o ponto alto, o fiasco continua. Mude a página (se tiver comprado esse lixo) e veja uma página inteira com entrevista e perfil de Diego Tardelli, ao lado de outra página inteira (de praxe para os dois times) de notícias do Atlético-MG. Na semana passada, Carini foi o dono de uma página inteira, falando sempre mais do mesmo. Jogador do Cruzeiro? Bobagem.

Eu não tenho absolutamente nada contra a pessoa do Diego Tardelli, não torço por seu insucesso e nem o desejo nada de ruim. Para mim, ele não fede nem cheira. Mas que baita falta de respeito, hein, EM? Diego é artilheiro do campeonato brasileiro, é ídolo dos rivais, mas tem tantas outras semanas pra falar sobre o que ele bem entender! Por que não dar este espaço e perfilar o ídolo Sorín, que não é mais jogador de futebol, a partir de hoje?

Façam um caderno especial sobre o Atlético-MG, um encarte diário. Não me importo. Mas vocês perderam todo o respeito que ainda restava da massa azul ao apagar Sorín dessa forma. Meus queridos jornalistinhas, deixem titia explicar a grandeza da noite de ontem: Juan Pablo Sorín é um nome tatuado na história do Cruzeiro há nove anos, e não há nove rodadas. É um ídolo de gerações, e não de situações de títulos. Como ficou bem claro, ele não precisa fazer nada dentro de campo (ou fora dele) para que continue sendo ídolo. Tem o amor e o respeito da torcida. É uma pena que não tenha esse respeito da imprensa mineira que, ironicamente, o próprio Sorín tanto prestigiou.

A partir de hoje, não compro e não leio mais o Estado de Minas e sugiro que, quem quiser, faça o mesmo. Isso não é ciuminho bobo, isso é fato, e contra fatos não existem argumentos. É uma vergonha ser jornalista por diploma em um estado com uma imprensa tão suja e tão vendida. E depois alguém ainda contesta o “padrão Globo de qualidade”.

Se acharem algum exemplar na rua, no entanto, levem pra casa. A época das muitas chuvas está batendo à nossa porta e ter jornal pra botar no chão molhado sempre ajuda. Enfim, pra alguma coisa, essa síntese de besteiras deve servir.

Por: Laís Menini, do GDG

Despedida do Sorin x Festa do Centenário do Minúsculo

06/11/2009

Despedida do Sorin 2009 (15 anos de carreira):
Currículo: 1 Libertadores da América, 1 Supercopa, 3 Aperturas, 1 Clausura, 1 Copa do Brasil, 2 Copa Sul-Minas, 1 Copa UEFA e 1 Copa da França. (11 títulos)
Jogo Principal: Cruzeiro 2 x 1 Argentinos Juniors (os dois times já ganharam Libertadores)
Público: 62 mil (fonte globo.com)
Show: Skank (banda mineira com vocalista cruzeirense fanático, que tem música gravada no disco oficial da Copa do Mundo de 1998)
Preliminar: Jogo entre artistas
Apoio da imprensa local: parcial

Centernada da Frangas 2008:
Currículo: 1 Campeonato Brasileiro 1971. (1 título)
Jogo Principal: Atlético-MG 1 x 1 Peñarol (só o Peñarol ganhou Libertadores)
Público: 44.734
Show: Jammil e Uma Noites (banda baiana e nenhum integrante torce pelo Atlético Mineiro)
Preliminar: não teve
Apoio da imprensa local: TOTAL

04-11-2009 – Dia em que o Diários Associados boicotou a despedida do Sorín

04/11/2009

Não me venham falar em “jogo da Globo” pois a história do Sorín no Cruzeiro tem que ser maior que isso. Afinal, a Globo também tem os direitos do Brasileirão e nem por isso o Diários Associados boicota. “Jornalistas” (Isso é jornalismo?) do Alterosa Esporte, Estado de Minas, Aqui e Superesportes.com.br vivem dando lição de moral cobrando que os clubes valorizem seus ídolos e sua história. Mas agora viram as costas para a despedida de um ídolo conhecido mundialmente. Um cara que leva a marca do Cruzeiro para todos os cantos. E o jogo amistoso do centenário do Atlético-MG contra o Peñarol? Jogo da Globo. Não me lembro do DIARIOS ASSOCIADOS boicotar. Se a torcida do Cruzeiro não merece respeito e não é mais importante que a ciumeira desses “jornalistas”, vamos protestar contra eles.

DIA 04 DE NOVEMBRO DE 2009 – DIA EM QUE O DIÁRIOS ASSOCIADOS BOICOTOU A DESPEDIDA DO SORÍN.

JAMAIS ESQUECEREI!

SORÍN ETERNO? Menos para Alterosa Esporte, Estado de Minas, Aqui e Superesportes.com.br. Para eles, Sorín já morreu.

Diários Associados BOICOTAM a despedida do Sorin!

04/11/2009

Venho aqui para chamar a atenção dos grandes cruzeirenses para mais uma canalhice da imprensa de penas.
Reparem na “cobertura” dada ao jogo do Sorin pelos seguintes meios de comunicação:
– Site superesportes
– Jornal aqui
– Jornal Estado de Minas
– TV Alterosa
Como vocês devem ter notado, o jogo de despedida do Sorin não foi destaque em nenhum deles, tampouco a troca de mais de 50.000 alimentos por entradas no estádio para amanhã.
Não bastasse a “campanha” para o título das galinhas, como se só elas estivessem disputando o caneco, a blindagem ao horroroso Celso Roth, isentando-o de críticas, e criando intriga todo dia contra o Adílson, agora essa da marginalização do jogo de despedida de um dos maiores ídolos da história recente do clube.
Quando te questionarem o porquê de campanhas contra esses medíocres, e da existência da vigília http://www.imprensamineira.org lembrem-se de canalhices como essa do jogo de amanhã.
Há 24 horas do jogo, ele não é destacado nem na primeira página do site Superesportes, dos jornais Estado de Minas e Aqui, e não é mencionado na tv Alterosa.
Abram o olho, minha gente, os fatos estão aí.
Diários Associados, lembraremos sempre do Sorin, e do que vocês fizeram com o evento de despedida dele!
Vida que segue, e o boicote também…

DENÚNCIA CONTRA TV ALTEROSA EM 29/10/2009

29/10/2009

A TV Alterosa filma das cabines de rádio os jogos no Mineirão para poderem usar livremente as imagens já que a Globo é detentora do Brasileiro.

Vejam a equipe da TV alterosa presente ontem no Mineirão torcendo contra e vibrando com os gols do Santo André contra o cruzeiro.

Nos gol de virada do Santo Andre o cara da Alterosa comemorando ao fundo solta um “BELEEEZA”

O video está tambem sendo usado no jornal estado de minas, no portal:

http://www.superesportes.com.br/ed_esportes/003/template_esportes_003_138096.shtml

PARABENS EQUIPE DA ALTEROSA PELO PROFISSIONALISMO
CONTINUEM TORCENDO CONTRA PORQUE ESTÁ REALMENTE DANDO CERTO

BOICOTE CONTINUA!

ACESSE http://www.imprensamineira.org

Conquiste a paz?

25/07/2009

“Conquiste a Paz”

Essa talvez tenha sido a maior falácia da imprensa mineira nos últimos tempos. Como é possível buscar a paz se na primeira oportunidade o sinal verde para a guerra entre torcidas é aceso? Se o objetivo é realmente promover a paz, qual é o saldo em incitar ainda mais a rivalidade entre Cruzeiro e atlético?

O que dizer do comportamento dos dirigentes galináceos no jogo entre atlético e São Paulo, quando fizeram que sua mascote – a galinha gorda – adentrasse na relva do Mineirão portando uma bandeira do Estudiantes de La Plata?

Definitivamente, isso não foi um desrespeito. Foi um desabafo. Foi uma forma de extravasar toda a comemoração que há mais de dois anos está presa na garganta de cada simpatizante do timeco de vespasiano. Nossa derrota na Libertadores fez com que as galinhas vomitassem o chopp centenário com gosto de urina (e sem contar que nem no ano seguinte foi permitido o revés).

Vangloriar-se dos louros alheios é válvula de escape desses medíocres e eu sinceramente não os culpo por isso. Afinal de contas, de que outra forma poderia ser comemorado um título de Libertadores do lado de lá? Por méritos próprios? Sem chance…

O que restou de negativo em tudo isso foi o papel da “grande” imprensa de Belo Horizonte, que avalizou toda essa euforia e que, por detrás das câmeras, também alfinetou o grande Cruzeiro Esporte Clube, cujas glórias e títulos ultrapassam os limites das Minas Gerais. Impensadamente, fez acirrar ainda mais a rivalidade entre torcidas. Convidou cada integrante da nação azul a odiar ainda mais o time do cais seco. A imprensa segundina agiu dessa forma para tentar trazer de volta uma rivalidade que há muito tempo deixou de existir. A que custo?

O fato é que ganhar duas Libertadores, Quatro Copas do Brasil, Duas Supercopas, Dois Campeonatos Brasileiros e tantos outros títulos demanda estrutura, planejamento e dirigentes preparados. Levar o nome de Belo Horizonte e de Minas Gerais para fora do país é mérito exclusivamente azul e branco. Isso tem que ser levado em conta sempre. Não é um boquirroto, despreparado, falastrão, que dirige seu time da arquibancada com o apoio da mídia que porá a prova toda a tradição do Cruzeiro Esporte Clube. Como diz meu grande amigo Lautner: “Os cães ladram e a caravana passa”.

Acho que já passou da hora de rever conceitos. Principalmente por parte daqueles que se dizem jornalistas(?) (im)parciais…

Texto muito bem escrito e postado por Luiz Otávio em 25.07.09.

A vitoria do derrotado – para quem ainda quiser falar da Libertadores 2009

23/07/2009

“Errei mais de nove mil arremessos na minha carreira. Perdi mais de 300 jogos. Em 26 ocasiões, acreditaram que eu ganharia o jogo no arremesso decisivo e errei. Fracassei, fracassei muito na minha vida. E é por isso que eu sou um vencedor.”
Sabem de quem é essa frase? Ninguém menos do que Michael Jordan, considerado o melhor jogador de basquete de todos os tempos. Hoje, cada vez mais, as derrotas vão fazer parte da rotina de todos, seja no esporte ou no jogo real da vida.

Um time campeão sabe disso. Ele não gosta de perder, mas tem sangue-frio suficiente para não entrar em desespero nos momentos mais difíceis. Ao contrário, tem sabedoria para aprender com os erros e, principalmente, não jogar as responsabilidades sobre outras pessoas ou qualquer motivo que sirva de justificativa para seu fracasso temporário. O verdadeiro campeão sabe ser tão grande nas derrotas quanto nas vitórias. Não abaixa a cabeça com os erros e entende que eles fazem parte do jogo.

Tudo isso é importante para que se faça uma reflexão: chega de fazer drama quando se perde uma partida, um negócio, um cliente ou um bem material! Não estou dizendo para comemorarmos derrotas, mas para sermos mais compreensivos com elas, aprender com as dificuldades e torná-las fontes de motivação para novas vitórias e conquistas, está escrito na nossa história e os louros expostos no nosso “arsenal” de trofeus.

No currículo de um vencedor, com certeza encontraremos algumas derrotas, assim como algumas vitórias também farão parte da vida de um fracassado. O triste da vida não é ter problemas ou derrotas. O triste da vida é ser medíocre. É não errar pelo simples fato de nunca ter tentado, nunca ter ousado. Todos nós estamos em constante disputa. E aqui vale a sábia lição expressa na frase síntese do ideal olímpico: “O importante é competir”. Somente serão vencedores os que souberem competir, ou seja, os que tiverem capacidade de extrair lições de suas derrotas, pois sabem que elas serão temporárias. Os que se abatem com as derrotas nunca terão condições psicológicas e emocionais para dar a volta por cima.

Nunca confunda derrotas com fracasso, nem vitórias com sucesso. Na vida de um campeão vão acontecer derrotas da mesma forma que na carreira de um perdedor vão ter algumas vitórias. A diferença é que o campeão é humilde nas derrotas e tem a coragem de enfrentá-las. O pior na vida não é perder, mas sim não ter a coragem de ousar! Talvez nesse momento da sua vida, você esteja curtindo a dor de uma derrota. Lembre-se de aprender as lições dessa dificuldade para mobilizar a sua força interior e renascer das cinzas para novos vôos e vitórias e isso companheiros o nosso Cruzeiro tem de sobra

Texto de Roberto Shinyashiki – adaptação: Robson Tovarish

Parece que até o Zezé Perrela cansou…

23/07/2009

O presidente do Cruzeiro, Zezé Perrella ligou para a rádio Itatiaia no programa bastidores nesta terça-feira (21) e desmentiu veementemente as palavras do repórter da Rádio Itatiaia, Arthur Morais, quando o mesmo noticiou a saída do treinador Adilson Batista e a chegada de Murici Ramalho. Segundo Zezé Perrella, “O senhor Arthur Morais está tentando tumultuar a vida aqui no Cruzeiro, eu nunca conversei com o Murici e eu não admito esse comportamento.

Ele vende e traz jogadores e fala abertamente que não gosta do nosso treinador, com todo respeito que eu tenho pela imprensa fica difícil admitir um comportamento desses e não é a primeira vez”, desabafou o presidente.

Aí está companheiros a deixa para que este movimento ganhe um aliado de peso. O presidente do Cruzeiro deixou bem claro que sua paciência acabou. Chegou a hora de equiparmos com todas as “armas” na forma de dados e emitirmos ao presidente Zezé, inclusive com os níveis de audiência e frequência deste blog.

Saudações Azuis

Texto de Robson Tovarish


Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.