TV Globo nos preterindo mais uma vez… Nada de novo!

07/07/2009

Recebi, reenviado por um conhecido, um email originalmente enviado pelo Walfrido. Achei interessante e resolvi abordar este tema, mesmo não se tratando especificamente da imprensa MINEIRA, pois neste caso é a Globo Nacional. Mas vale o debate. Até porque agente defende tanto a Globo CBN que gostaríamos de ver o que o Pequetito, o Marra, o Guiotti têm a dizer sobre isso.

“Paulinho, vc me ligou indignado com a Globo. Todos estamos.

Me pergunto se o Banco Santander e demais anunciantes ligados a Copa Libertadores também não estariam. Me pergunto o que poderíamos fazer. Quem sabe enviar emails a globo? Muitos. Milhares. Será que somos capazes de nos mobilizarmos. Eu acho que não. Vc conhece, e muitos aqui copiados também, o Evandro. Pois ele tem uma tese interessante de que se entupirmos os emails da Globo ou de qualquer um, a primeira coisa que eles farão é desqualificar as reclamações dizendo que são de arruaceiros, torcidas organizadas e tal. Evandrão só não explicou melhor qual a idéia dele. Sei que ele tenta organizar um movimento entre torcedores de diversos times para debater temas como esse. Não conheço o movimento mas imagino a dor de cabeça que é.

O que fazer? Alguém tem alguma idéia? Por enquanto apenas copio abaixo uma boa coluna do Wilson que tá lá no Cruzeiro.org e sugiro que quem se sentir indignado um local que quem sabe pode ajudar a buscar alternativas é o site do imprensamineira.org

Fora isso só nos resta torcer para nosso Cruzeiro, o de Belo Horizonte, pois até mesmo em MG há rincões não atendidos pela poderosa Vênus de Prata.

Abraços quase, bem perto, a um passo, do TRI da Libertadores. Eu acredito, e MUITO.

Walfrido Zeeeeeeeeeeeeeeeeirooooooooooooooooooo”

Belos e Curtos Horizontes

http://cruzeiro.org/coluna.php?id=1100

A cada filme bom eu me indignava com o tempo perdido, com a estreiteza do meu horizonte global, e sentia um desejo íntimo de socar o bucho da emissora

Cruzeiro e Estudiantes farão o melhor e maior jogo do futebol brasileiro em 2009. É final de Libertadores, o maior torneio de futebol das Américas, na minha opinião o melhor de clubes do mundo. Envolverá Brasil e Argentina, duas das principais escolas de futebol do planeta. Cruzeiro e Estudiantes, juntos, têm cinco títulos de Libertadores. Será o jogo do confronto da garra, técnica e habilidade de Kléber e Véron. Será a despedida do mais celebrado jogador atuando no Brasil nos últimos dois anos, Ramires. E a Globo vai transmitir Corinthians x Fluminense para SP e RJ.

O fato gerou surpresa e até indignação para muitos cruzeirenses, em especial aos residentes nas praças onde não será transmitido o jogo do Cruzeiro. No entanto, não há motivo para surpresa. Primeiro que isso já ocorreu em 1997. Segundo que a Globo sempre criou o seu – e a reboque o nosso – universo paralelo. Explico:

Certa feita, andando pelos corredores do Senado, deparei-me com um cartaz da embaixada francesa que anunciava a exibição de filmes no auditório da casa durante todo o mês. Resolvi arriscar. Não me lembro de ter me divertido tanto com um filme, o excelente “Le Bonheur est dans le pré”, Enganar é Viver na tradução. Saí do auditório me perguntando porque filme tão bom nunca passou na televisão. Tolinho… Descobri em Brasília uma sala de cinema alternativo (no Brasil é alternativo) e embriaguei-me de filme espanhol, alemão, iraniano e, por que não, alguns americanos que não passam na Tela Quente. A cada filme bom eu me indignava com o tempo perdido, com a estreiteza do meu horizonte global, e sentia um desejo íntimo de socar o bucho da emissora.

O joguinho entre Corinthians e Fluminense é uma faceta mais visível da realidade que abordei com os filmes. O melhor do futebol tá rolando no mundo real, mas a Globo em seu universo paralelo vê outra coisa. Como em novela das oito que adota o Rio de cenário (a maioria), pintando uma cidade de boa vida e um subúrbio de felicidade. Nas transmissões de jogos de times do Rio, o som da torcida é mais limpo que o do aparelho aqui de casa, parece 5.1 surround, sem contar a legenda nos cantos. Eu não compro mais tanta porcaria.

Comecei há alguns anos, resolvendo meu problema de astral no domingo à noite. A musiquinha do fantástico era a sétima trombeta do apocalipse anunciando a segunda-feira. Troquei a TV por um jantar com a família, uma conversa na varanda, um passeio na praça ou um filme sem explosões no cinema. E não espere que eu vá defender outra TV aberta; é tudo ruim, uma vende o Rio, as outras vendem São Paulo ainda mais descaradamente.

O curioso é que isso produz caipiras cariocas e paulistas, povos ignorantes de Brasil tanto quanto americanos interioranos são de mundo. Carioca apela quando os Simpsons incluem sucuris no cenário carioca, mas por outro lado chama todos nordestinos de paraíba. No lado paulista, Alckmin defende em campanha presidencial um choque de gestão e perde votos de cidadãos de rincões brasileiros temerosos dos 220V – eu ouvi relatos. Ignorantes de Brasil.

Como eu não quero salvar o mundo nem promover boicotes, vou torcer para o Cruzeiro do Brasil e de Belo Horizonte enquanto os demais curtem seus curtos horizontes.

Wilson Flávio
wilsonflavio@cruzeiro.org

A razão, a cobrança e o risco

05/07/2009

Segue texto do Paulo SRita, que resume com muita propriedade a situação que vivemos em MG:

“A necessidade de uma imprensa séria é do torcedor Mineiro. Cruzeirenses, atleticanos, americanos (todas as torcidas) e todos que acompanham o futebol do nosso estado, precisam de informações mais serias sobre o esporte em Minas. Não concordo com alguns comentários dizendo que seria mais fácil parar de assistir os programas e rádios. A questão é que não é um protesto contra os meios de comunicação. O que queremos é o direito de ter a informação verdadeira e transparente. O problema maior é esse mesmo, uma carência de uma imprensa que joga com nós consumidores e com a verdade. Nós torcedores precisamos de veículos de comunicação e isso é nosso direito e cabe a nós decidirmos o que realmente é melhor. A maioria sempre define as regras, e se depender de nós, Cruzeirenses integrantes da maior de minas, isso mudara logo!”

E também belo texto do Robson Tovarish que reforça o exposto acima, e nos “cobra” uma postura mais aberta nas cobranças, mostrando a cara para eventuais discussões:

“Um movimento democrático como esse, tem que ter na suas bases, os mais respaldados e lícitos ideais de ações democráticas. O alvo não é os meios de comunicação e sim o direito de resposta. Os dois lados têm direitos e deveres. Queremos pautas mais justas e verdadeiras para o jornalismo esportivo, isso leva a crer aos olhos da comunidade que uma das partes está sendo menosprezada.

O movimento cruzeirense, como aqui se nomeia, tem o direito constitucional de ser bem informado, mas, o que é ser bem informado? Quais os direitos e deveres do movimento? Quais os direitos e deveres dos órgãos de imprensa? O movimento cruzeirense se guarda no direito constitucional de falar, escrever e protestar o que quiser. Os veículos de comunicação têm o direito constitucional de falarem, escreverem e mostrarem o que quiserem. O que não se pode, e é inadmissível, pelas leis brasileiras, é fazer apologia ao crime de falsa ideologia, ofensas morais e incitação a violência. Cabeça foi feita para pensar.

Parem com essa “Birra” e se organizem. Somente assim as fileiras do movimento vão estar mais recheadas de valores importantes, que sem dúvida vão pesar muito na balança, quanto precisarmos SENTAR A MESA e reivindicarmos os direitos LÍCITOS da torcida cruzeirense. Lembrem-se, os dois lados têm direitos e deveres.”

Robson, sua sensatez e envolvimento lhe permitem nos cobrar. Já debatemos esse tema superficialmente e entendo sua posição. Fato é que os organizadores deste movimento são todos profissionais e pais de família que temem bater de frente com órgãos de imprensa que dominam o estado. Muitos são empresários que podem ter suas empresas prejudicadas por ações da mídia. Eles são capazes de tudo. Infelizmente ainda não temos uma organização suficientemente forte para tomar este risco. Vamos continuar debatendo e avaliando caso a caso. Continuamos contando com sua imensa colaboração neste espaço. Suas cobranças e críticas são sempre bem vindas.

Êta Asquerosa Esporte que não aprende…

01/07/2009

O Sr Leopoldo, apresentador do AE, não aprende mesmo. Divulgou em seu ‘democrático’ blog mais uma máscara do que é realmente o time do gaylo. Tem coragem de colocar a culpa da derrota na arbitragem que mais uma vez deu um penalti de presente para o gaylo. Nada falou sobre a grande vitoria dos garotos do Cruzeiro que não mostraram uma grande tecnica mas desempenharam uma atuação a base da vontade e determinação. Continuo insatisfeito com o AE e na minha opinião devia sair do ar o mais rapido possivel… precisamos de uma reciclagem nessa imprensa que se caracteriza torcedora.
Fora ‘jornalistas’ que trabalham com a mentira!!
A revolução começa agora!!

Texto do torcedor, telespectador e comentarista Paulo Santa Rita.

Jornalismo que não é

28/06/2009

Ontem o Minusculo ganhou um penalti de presente. De novo foi ajudado pela arbitragem. Nada a comentar sobre isso. Engraçado é que os dirigentes do time Cavalo Paraguaio tiveram a cara-de-pau de reclamar da arbitragem:

http://www.superesportes.com. br/ed_esportes/ 002/template_ esportes_ 002_127966. shtml

e

http://www.superesp ortes.com. br/ed_esportes/ 002/template_ esportes_ 002_127956. shtml

Contra Gremio, Santos e outros não me lembro deles criticarem “a falta de critério da arbitragem”. Bah!

Ainda assim só acho engraçado. Mas com a imprensa é diferente. Ou deveria. Mas não é. Torcedores travestidos de jornalistas eles destacam o chororô do patético, mas nem sequer citam o penalty garfado que eles ganharam… Não deveria estranhar essa atitude, é comum essa parcialidade. Pode ser tudo, só não é jornalismo decente. Isso não é.

O poder que pode ser nefasto da imprensa

25/06/2009

“Boa tarde a todos.

O Cruzeiro eliminou o São Paulo em pleno Estádio Cícero Pompeu de Toledo, até normal, em virtude do grande futebol apresentado pelo Cruzeiro. No outro dia, sintonizando o velho rádio que possuo no meu também quase velho carro. Escutei um “repórter”, que não vem ao caso dizer o nome, dizendo: “… A imprensa de São Paulo está derrubando o Murici Ramalho…” Isso me incomodou profundamente. A imprensa não se diz imparcial? Qual o interesse deles em derrubar o Murici Ramalho? A forma como esse repórter se pronunciou me deixou “cabreiro” pela certeza que ele disse que a imprensa paulista derrubaria o Murici Ramalho. Realmente o Murici caiu. Fica aí a questão. A imprensa mostrou sua força, ou a diretoria do São Paulo que já não suportava mais o “estilo Murici de ser” de um técnico que em 4 campeonatos brasileiro ele ganhou 3?

Os questionamentos após escutar essa declaração foram muitos, como vocês puderam ver. Mas porque uma “classe” que sempre se omite quando perguntados qual o Clube pelo qual torcem, derrubaria um técnico? Além disso, ficam se dizendo IMPARCIAIS, ou até mesmo declarando que torcem pelo futebol do Estado onde trabalham, isso é pura demagogia. O curioso é que a mesma imprensa está “espalhando” que o mesmo Murici está indo para o Palmeiras, eterno rival do São Paulo. Uai! Se ele é ruim para o São Paulo, porque seria bom para o Palmeiras, clube do mesmo Estado. O Murici sempre trata a imprensa com autenticidade, falando tudo “na lata”, alguns jornalistas talvez por ter um “diploma”, que já não é mais necessário (apesar de que eu não concordo com a decisão do governo) se julgavam ofendidos pela arrogância do Ex-Treinador do São Paulo resolveram de forma covarde “bater no mesmo”. Fazem uso da mídia para prejudicar os outros. Isso é ser imparcial? Os mesmos não contribuem com nenhum centavo com as finanças do clube, porque eles se julgam no direito de derrubar o técnico que tem o apoio do maior patrimônio de um Clube, a torcida. A torcida do São Paulo apóia o Murici, coitado é do outro técnico que assumiu.

Minha preocupação é com o Adilson Batista. Assim como o Murici, ele é tido como arrogante por parte da imprensa regional. Ele vem sendo na maioria dos jogos onde o Cruzeiro não se posta bem em campo, alvo das “língua listradas de preto e branco” que comandam a mídia em Minas Gerais. Enquanto isso o outro lado já trocou de técnico, e o técnico que saiu nem criticado foi, simplesmente passou batido. Nós Cruzeirenses temos é que apoiar o Adilson Batista, nós temos que proteger a imagem do Cruzeiro. O Cruzeiro ontem deu, sobre o comando do Adilson Batista, um enorme passo para novamente conquista a América, para novamente “honrar de verdade o nome de Minas Gerais”. Ontem era o jogo para ser falado no Brasil inteiro. Porém dentro do nosso Estado, tentaram abafar a repercussão do clássico entre Cruzeiro x Grêmio. Anunciaram, Juan Roman Riquelme no clube “cacarejante”. Só podia ser piada mesmo. Para nós Cruzeirenses, mais um motivo de gozação em cima dos “galináceos”, para eles uma tremenda piada de mau gosto. Daqueles que todos os anos desde 1971 vem sendo iludidos por “jornalistas corneteiros”. Tentaram abafar o Cruzeiro, igual a contratação do Ronaldo pelo Corinthians abafou o título brasileiro do São Paulo. Tentaram, mas não conseguiram, mais uma vez o que se pôde ver nos noticiários pelo Brasil a fora, foi o nome do Cruzeiro, juntamente com o nome do Grêmio seu adversário. O nome Riquelme, pelo que eu observei na internet só foi noticiado na “imprensa zebrada” e bairrista de Minas Gerais. Ontem por exemplo, fiquei impressionado com o tratamento da imprensa Gaúcha para com o Grêmio e com Internacional. Lá parece que as coisas são divididas. Há anos os Cruzeiro vem se destacando no cenário nacional. Está entre os poucos times que nunca tiveram na série B. Minas Gerais também é conhecida na América do Sul através do Cruzeiro. “La Bestia Negra” é o apelido que o Cruzeiro conquistou no Continente Americano por vencer os Grandes da América. O Cruzeiro mais uma vez, poderá disputar um Mundial de Interclubes e talvez levar o nome de Minas Gerais ao topo mais alto do Futebol Mundial. A “gigante” da televisão brasileira e mundial alterou sua programação da quarta e da quinta feira para poder mostrar o Cruzeiro contra o São Paulo. O Brasil todo elogia o Cruzeiro, o Brasil todo elogia o Adilson Batista, o Brasil todo está aos pés do “queniano” que foi uma aposta dos Perrelas e vem encantando na Seleção Brasileiro. Mas infelizmente, dentro de Minas Gerais tentam igualar o Clube Patético que não ganha nada desde 1971 ao nosso Cruzeiro. Realmente é lamentável.

Um abraço a todos.”

Texto do torcedor Cristiano.

Esse Supercocotas não se manca

25/06/2009

Ontem o Cruzeiro venceu, e bem, o jogo mais importante do ano, num confronto duro contra outro time copeiro, vice campeão brasileiro, 1o lugar na fase de grupos da Libertadores, o Gremio.

O jogo era válido pela SEMIFINAL de uma Copa Libertadores. Poucos jogos trazem tanto assunto, ainda mais esse que gerou tantas polêmicas e fatos inusitados.

Prato cheio pra imprensa nacional e internacional que repercute até agora o jogo.

Mas pra imprensa escrota de Minas Gerais não pareceu um jogo interessante. Para a imprensa atleticana como é esse jornaleco de merda o mais importante é querer comparar o incomparável. Não porque o rival tem outro nível imensamente inferior de conquistas, mas sim porque são competições e focos diferentes. Menos de 24 horas depois do jogo, qual a manchete principal do CRUZEIRO na pagina inicial do péssimo e tendencioso Supercocotas?

“Desvantagem para rival não preocupa Cruzeiro – Jogadores não se incomodam com a vantagem de 10 pontos do Galo no Brasileirão”

Ah, vai pra ponte que partiu, EM. Respeito JÁ! Tem hora que perco a paciência, viu?

Ainda bem que já chegou minha poltrona!

21/06/2009

Tô aqui sentadinho confortavelmente em minha nova poltrona esperando alguma matéria, alguma menção dessa imprensinha fajuta e parcial sobre a invasão da torcida do MAIOR DE MINAS ao Morumbi na 5a passada. Se não bastassem os mais de 4 mil guerreiros cruzeirenses no estádio, eles não pararam de cantar nenhum minuto. Foram tão fundamentais que os jogadores fizeram questão de enaltecer a raça e disposição da galera que foi pra luta junto com o time em SP. Rádios de Sampa citaram o comportamento educado porém eufórico da enorme torcida do Cruzeiro. Mas não adianta. Coisas como o show da Torcida do Cruzeiro no Morumbi não ganham muito destaque na galopress. Enquanto isso quando 4 frangas colocaram uma bandeira preta e branca lá no Uruguay durante a copa Bimbo a frangopress já ficou toda eufórica e noticiou ‘INVASÃO DA MASSA A MONTEVIDÉU”. Dureza, viu!

Post meio que copiado (rsrsrs) e dedicado ao Hugo e Walfrido que abordaram esse tema na blogosfera hoje!

Até quando vamos conviver com esse absurdo?

19/06/2009

Galera venho através desta pedir uma grande ajuda a toda nação de guerreiros azuis, porque em minha região zona da mata quem transmite os jogos é a TV Panorama a mesma apaixonada pelo futebol carioca não da a minima para nos mineiros. Por Favor preciso do maior numero possivel de manifesto no site dessa merda de televisão http://www.megaminas.com e depois clique no link la no rodapé em fale conosco. Por favor gente não aguentamos isso mais, Cruzeiro x São Paulo não foi transmitido por ela porque passou A Grande Familia. Isso é uma falta de respeito com nos torcedores. POR FAVOR PEÇO ENCARECIDAMENTE, NOS AJUDE E MUITO OBRIGADO A TODOS!!!!!!!! VALEW E ATÉ A PROXIMA.

Pedido do torcedor Leonardo, mineiro, usurpado do direito de assistir os jogos do Cruzeiro em pleno estado de Minas Gerais. Até quando vamos conviver com esse absurdo? Até quando vamos ser subjugados pelos interesses do eixo Rio-SP? Vamos ajudar nossos amigos entupindo de emails essa retransmissorinha mixuruca

Quem esse cara pensa que é para se achar porta voz da torcida do Cruzeiro???

19/06/2009

Ontem estava assistindo a entrevista do Adilson no SPORTV quando o Arthur Morais provocou o Adilson dizendo que o “Cruzeiro finalmente tinha recuperado o futebol que era cobrado pela torcida e imprensa”. Gostaria de falar para o Artur Morais, que eu sou torcedor e não estava insatisfeito com o time, e sim compreensivo pelo momento de excesso de jogos e várias contusões. Futebol não deve ser olhado a cada momento, e sim com uma visão mais ampla, entendendo o planejamento do Adilson, algo que a ATLETIAIA não faz!

Só Gostaria de deixar claro, sr. Artur que o senhor não é o porta-voz do torcedor. O que vc disse não corresponde ao que eu penso, portanto quando fizer a próxima provocação use apenas o nome de sua tendenciosa rádio, e não a visão do torcedor!

Perfeito comentário do torcedor Giustavo, assino embaixo. Artur, fale apenas por si e por sua rádio tendenciosa. JAMAIS fale em nome da torcida do Cruzeiro!

Trincheira de letras

17/06/2009

O Jornalismo Esportivo é uma especialização que lida com alto grau de risco de parcialidade, pois tanto jornalistas quanto leitores têm preferências por determinados times ou atletas. Por isso, o profissional da área deve tomar cuidado com a paixão ou repúdio que seu texto pode facilmente provocar no público.

É o que não acontece com o senhor AE, devido ao alto índice de criticas que recebeu em seu blog “Sem Barreira”, com 95% de rejeição, o senhor AE se escondeu na sua trincheira de letras, de lá dispara a esmo suas emoções parciais. Se escondeu atrás dos seus comentários, excluindo dos leitores o poder democrático de opinar sobre assuntos de seu interesse.

O futebol é usado pelo cidadão como uma válvula de escape para os problemas do dia-a-dia… o chefe, o trabalho que detesta a corrupção e a impunidade, a violência crescente, a escola das crianças, as contas a pagar… e é ali que ele se encontra de novo, volta a se sentir importante, parte da sociedade.

E cabe ao jornalista esportivo, imparcial ser esta ponte, entre o real e o sonho. É licito o editor moderar os comentários, mas o que parece somente comentários com criticas “construtivas” pode ser lidos, ou os comentários que ele quer ler ou ouvir.

O jornalista criou uma barreira no seu blog “Sem Barreira”, deliberadamente o seu ideal está em decadência e quem sabe um dia ele faça uma analise dos contextos e formatos dos seus veículos de comunicação, reformulando suas idéias e ações e deixe que o povo possa ultrapassar esta trincheira de letras, “Sem Barreira”.

Mais uma bela coluna escrita pelo Robson Tovarish. Que toma a dianteira no sensacional debate com o André Ponte Preta. André, cadê seu texto?